Quem segue as redes sociais do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tem a oportunidade de conhecer um pouco da história da Justiça Eleitoral (JE) de uma forma mais criativa e irreverente. É que o TSE passou a divulgar, desde o dia 24 de janeiro de 2022, a série “90 curiosidades da Justiça Eleitoral”, criada para registrar os 90 anos da instituição.

A série de publicações mostra, em vídeos curtos e atrativos, curiosidades registradas durante essas nove décadas. As publicações começaram um mês antes do aniversário da JE, comemorado no dia 24 de fevereiro. São fatos interessantes e divertidos que o público vai poder conferir nas redes sociais do TSE ao longo de todo o ano. São 90 posts que promovem um resgate histórico e revelam muitas curiosidades a partir de um levantamento feito em parceria com a Biblioteca do TSE.

Os vídeos, de apenas 30 segundos, podem ser vistos no YouTube, no Twitter e no Instagram e no Facebook do TSE. No YouTube, foi criada uma lista de reprodução específica sobre o tema, que você pode conferir neste link. A ação está inserida numa série de iniciativas do Tribunal para celebrar as nove décadas anos da JE, e os posts convidam a estender a pesquisa no site especial sobre os 90 anos.

Exemplos de curiosidades

O conteúdo dos vídeos incluicandidatos inusitados; parcerias; funcionamento das urnas eletrônicas; inclusão; regras para votação; e até histórias de amor. O primeiro vídeo, por exemplo, destacou o caso do Rinoceronte Cacareco, mais votado para o cargo de vereador de São Paulo, em 1959, com 100 mil votos. A simulação da eleição do rinoceronte ocorreu como forma de protesto dos eleitores que estavam insatisfeitos com os políticos da época.

A série destacou também que o apresentador Silvio Santos tentou ser candidato a presidente da República nas Eleições de 1989. O post publicado dia 26 de janeiro nas redes do TSE conta que, apesar de não ter ido para frente, a candidatura de  Sílvio Santos teve grande repercussão. Ele chegou a liderar as pesquisas com 29% de intenções de voto durante o período de campanha.

Candidato por uma pequena legenda chamada Partido Municipalista Brasileiro, o apresentador viu a ideia de se tornar presidente naquele ano ir por água abaixo depois da decisão do TSE de anular sua candidatura, porque outro candidato entrou com pedido de cassação do partido que, de fato, não cumpria com os requisitos para existir.

Outra curiosidade que pouca gente deve lembrar é que o jogador Ronaldinho já foi garoto-propaganda da Justiça Eleitoral mineira na década de 1990. O post publicado dia 28 de fevereiro mostrou que o atleta se alistou para votar em 1994, ano de Eleições Gerais e de Copa do Mundo, e que, na época, ele permitiu que a Corte mineira usasse a imagem para incentivar o voto.

Os mais curtidos

Até o momento, o post mais curtido no Instagram do TSE – e o que possui mais comentários – foi o que contou que, antigamente, as cédulas eram individuais e que quem se candidatava era responsável pela distribuição delas. Publicado no dia 18 de março, e com 72 comentários, o post explicou que, até 1950, as cédulas eleitorais eram impressas e distribuídas pelos próprios partidos ou por quem se candidatava.

Já no Facebook do Tribunal, com 105 comentários, quem ocupa o primeiro lugar do ranking é o post publicado no dia 17 de março, que lembrou que, até a última eleição, era preciso esperar que a votação terminasse no Acre para iniciar a divulgação dos resultados nacionalmente, por conta dos fusos horários do país.

Para as Eleições 2022 a regra mudou: os horários de início e de encerramento da votação serão norteados, em todo o país, pelo horário de Brasília. Na prática, eleitoras e eleitores que estão em estados com fusos diferentes da capital do país terão que se adaptar – Amazonas, Rondônia, Mato Grosso do Sul, Roraima, Mato Grosso e parte do Pará terão a votação iniciada uma hora antes. No estado do Acre, a votação começará duas horas mais cedo e, em Fernando de Noronha, uma hora mais tarde. Em todos os estados, o período de oito horas para votação será adotado.

No Twitter, o primeiro lugar ficou com a publicação sobre a urna eletrônica, publicada dia 20 de fevereiro. A postagem, que tem 328 comentários, explicou que a urna não é conectada à internet ou a qualquer rede e que nuca foi comprovada nenhuma fraude.

Para conhecer essas e outras curiosidades sobre os 90 anos da Justiça Eleitoral, basta seguir as redes sociais do TSE ou clicar na página especial criada para celebrar a data: https://www.justicaeleitoral.jus.br/90-anos

Fonte: tse.jus.br/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *